Governança de Dados


Governança de Dados

É um sistema de tomada de decisões executado por um modelo que descreve quem age com qual informação, em que momento, usando que métodos e sob que circunstâncias, e atinge: Um melhor processo de tomada de decisões: com tudo definido, é muito mais seguro tomar decisões informadas.

COMO A GOVERNANÇA DE DADOS FUNCIONA?

O departamento de governança de dados funciona por meio de captura automatizada. O funcionamento ocorre por meio de ETL (extrair, transformar e carregar, em português).

O ETL eficaz e alinhado com as demais estratégias da empresa adéqua a qualidade dos dados sem a necessidade de manuseio humano, e ainda diminui os erros no momento das análises, garantindo o acesso correto às pessoas indicadas.

QUAIS SÃO AS FUNÇÕES RELACIONADAS À GESTÃO DE DADOS?

Para entendermos, de fato, a importância da governança de dados, vamos analisar o conjunto de dez funções para essa administração. Veja abaixo.

1. GOVERNANÇA DE DADOS

Responsável por demonstrar a função de autoridade e manutenção das estratégias, papéis, políticas e exercícios envolvidos com os dados ativos da organização.

2. DESENVOLVIMENTO DE DADOS

Responsável pelos exercícios de modelagem e implantação das estruturas dos dados do ciclo útil do desenvolvimento de informação dos sistemas.

3. ARQUITETURA DOS DADOS

Responsável por precisar as necessidades de dados, alinhando as informações com as estratégias de negócio da empresa.

4. OPERAÇÕES DE DADOS

Responsável pela manutenção e armazenamento dos dados ao longo da vida útil.

5. DADOS MESTRES E DADOS REFERÊNCIAS

Responsável por alinhar e controlar as atividades, assim garantindo a consistência e a disponibilidade de visões ímpares dos principais dados reaproveitados na empresa.

6. BUSINESS INTELLIGENCE E DATA WAREHOUSING

Responsável por delimitar e controlar os processos provendo dados de suporte às decisões. Geralmente, disponibiliza os ativos em aplicações analíticas.

7. DOCUMENTAÇÃO E CONTEÚDO

Especializada em implementar, planejar e controlar exercícios para manter, proteger e acessar dados não estruturados das organizações.

8. GERENCIAMENTO DE METADADOS

Os metadados são os que representam os dados como significados. Os significados equivalem aos conteúdos técnicos dos dados, que por sua vez são extraídos por meio das informações. Essa extração ocorre no formato, na estrutura e no tamanho. As informações sobre restrições também são usadas como conceitos e definições.

9. QUALIDADE DOS DADOS

Responsável por medir, avaliar e otimizar os dados. A gestão de qualidade, como o nome sugere, também garante a qualidade dos dados da empresa.

10. SEGURANÇA DOS DADOS

Tem a função principal de criar e manter políticas de segurança da informação na organização.

QUAIS ERROS PODEM OCORRER AO IMPLANTAR A GOVERNANÇA DE DADOS?

A governança de dados é muito eficiente e cumpre com excelência o seu trabalho no quesito armazenamento e leitura das informações. Porém, isso tudo só é possível quando a implantação dessa estratégia ocorre corretamente.

1. MOTIVAÇÕES E OBJETIVOS MAL DEFINIDOS

Uma grande falha é que muitos gestores querem aplicar essa tarefa sem definir de forma sucinta as motivações, e não são claros quais os objetivos esperados com a adição da governança de dados em seu escopo de processos rotineiros.

Na maioria das vezes, a ordem da implantação vem de diretores e gerentes, mas as motivações e a necessidade para tal ordem não foram debatidas e analisadas de forma aberta e clara. Para evitar esse erro, é preciso que os objetivos e as motivações sejam muito bem esclarecidos e entendidos por todos.

2. ASSESSMENT INADEQUADO

Um erro muito comum entre as implantações malsucedidas da governança de dados é a realização inadequada do assessment.

O assessment é essencial para que a nova estratégia funcione com excelência. A partir dele, a empresa poderá planejar as atividades prioritárias para a implantação da governança de dados. Ele deve ser feito no início e apresentar de forma clara e explícita a real situação da empresa.

Para que o assessment seja considerado válido, as seguintes atividades devem ser contempladas:

entendimento e conhecimento das características principais da empresa;

avaliação das atividades existentes;

divulgação dos pontos fortes e fracos da empresa (PFOA);

definição de um plano de ação.


 A governança dos dados não-estruturados - uma zona cinzenta a ser tratada - é imperativa às empresas, adverte Bryan Whorton, especialista em Gerenciamento da Identidade e Acesso (IAM, na sigla em Inglês), que atualmente exerce a direção da área de Desenvolvimento de Negócios em Governança de Dados da empresa norte-americana Sailpoint. De acordo com ele, nada menos que 80% das informações (próprias e de terceiros) custodiadas em data centers empresariais (ou na nuvem) residem em arquivos não suficientemente protegidos, tais como documentos de texto, emails, planilhas, ferramentas colaborativas e aplicações de redes sociais abertas.


"Tal como aconteceu na Europa, com a entrada em vigor da GDPR, a governança de dados vai precisar estender os mesmos níveis de segurança e visibilidade - antes restritos às bases de dados estruturados - para esta imensa zona cinzenta, onde informações não estruturadas e contidas em arquivos avulsos passam a ser um dos principais alvos das ações de manipulação, fraude e roubo de dados", reforça o especialista. Whorton afirma que as organizaçoes vão precisar distribuir responsabilidades para toda a base de colaboradores, atribuindo obrigações e permissões sobre arquivos e bases de dados relativos às suas respectivas áreas de negócio. Nossa tecnologia propõe, para tanto, a criação de painéis de monitoramento online, onde cada "data owner" acompanha os indicadores de acesso e de manejo das informações sensíveis na rede